Caravanas e mutirões fortalecem o protagonismo de mulheres na agricultura carioca

A construção cotidiana da agricultura na cidade está nas mãos das mulheres, mas nem sempre esse protagonismo é evidente para toda a sociedade. No Rio, a Roda de Mulheres da Rede Carioca de Agricultura Urbana (RedeCAU) vem se organizando em torno da pauta da Agricultura Urbana e Agroecologia, com o objetivo de debater e fortalecer as alternativas construídas, especialmente na Zona Oeste. Apostando nesse protagonismo, o Instituto Pacs tem apoiado a realização de caravanas, mutirões e encontros, a fim de tornar mais sólida a criação de redes entre mulheres da cidade. As atividades contam com o apoio do Instituto Rio.

No último sábado (26/08), foi realizado o segundo mutirão da Roda, na região do Caetés, na Zona Oeste. O primeiro mutirão aconteceu na casa do Centro de Educação Multicultural (CEM), no Grotão do Complexo da Penha, no dia 09/08.

As atividades vêm sendo planejadas pela Roda desde abril. Julho marcou a primeira atividade de campo, quando aconteceu a I Caravana de Mulheres Negras, no Bosque das Caboclas e no Rio da Prata, ambos em Campo Grande. Nas caravanas, as mulheres presentes são convidadas a conhecer a história das comunidades e a importância de se caminhar por elas. O objetivo é reconhecer e valorizar a força das comunidades e a construção coletiva das mulheres dos locais, buscando a troca de experiências e abertura dos horizontes de atuação daquelas que constroem diariamente a agricultura e a agroecologia em seus quintais e espaços de roçado.

Já a proposta dos mutirões é contribuir coletivamente para o manejo adequado dos quintais produtivos. As mulheres se unem para, num momento de trabalho e troca, limpar o terreno, separar dejetos, manejar as plantas daninhas, cobrir canteiros com matéria orgânica, adubo e terra, construir cercas, entre outras atividades. O trabalho é entrecortado por conversas, trocas de experiências e café da manhã coletivos.

A partir da criação dessas redes de agroecologia na cidade, busca-se construir, ao fim do processo, um diagnóstico socioeconômico das mulheres agricultoras da Zona Oeste, dando visibilidade ao trabalho das mulheres agricultoras, muitas vezes esquecidos e ignorados pelo Estado e por suas famílias. Acompanhe aqui pelo site outras atividades do projeto.

 

Confira fotos das caravanas e dos mutirões:

vista do quintal

 

 

Saiba mais sobre o assunto:

Link para a cartilha “Mulheres Construindo Agricultura Urbana”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*