Silvia Federici: roda de conversa na Maré e na Gamboa sobre feminismo

Neste mês de julho, a feminista e historiadora italiana Silvia Federici estará no Rio de Janeiro participando de diversas atividades e lançando seu novo livro O Calibã e a Bruxa, traduzido pelo Coletivo Sycorax e publicado pela Editora Elefante com apoio da Fundação Rosa Luxemburgo.

Nesta que será sua segunda visita no Brasil, Silvia Federici irá discutir, na Maré e na Gamboa, os principais pontos de seu livro, o protagonismo das mulheres nas lutas sociais e terá também a oportunidade de conhecer e dialogar com as experiências e ações de coletivos e movimentos de mulheres que estão na linha de frente em alguns dos territórios periféricos de São Paulo e Rio de Janeiro. No dia 16  de julho, domingo, a autora estará na Companhia de Mysterios e Novidades, na Gamboa, e no dia 18, terça-feira, no Museu da Maré.

Silvia é uma das mais importantes teóricas do feminismo e do capitalismo, e em sua pesquisa analisa, entre outros aspectos, o trabalho assalariado a partir de uma perspectiva de gênero. Nascida na Itália, vive nos Estados Unidos desde os anos 1960, onde participou ativamente do movimento contra a guerra e fundou o Coletivo Feminista Internacional, que impulsionou a Campanha Salários para o Trabalho Doméstico em âmbito global.

Calibã e a Bruxa discorre sobre a violenta transição do feudalismo para o capitalismo, no qual a caça às bruxas estava diretamente ligada à criação de um novo sistema econômico que se forjou na exploração e dominação dos corpos das mulheres. Silvia Federici faz referência no título a dois personagens shakespearianos para sintetizar a dimensão sexista e racista que o capital tenta impor aos corpos e a todos que resistem à sua ordem.

Aproveitando a vinda da autora, as mulheres do Instituto Pacs organizaram uma roda de conversa última segunda-feira (10), para refletir sobre as principais ideias levantadas pela autora no contexto da cidade. O momento é aberto e conta com a participação da professora do Programa de Pós Graduação em Serviço Social da Uerj, Isabel Cardoso.

Confira a agenda:

16 de julho às 11h

URGE! Feminismo com Silvia Federici – Gamboa

Rua Pedro Ernesto, 21

https://www.facebook.com/events/476907889318463/?acontext=%7B%22action_history%22%3A%22[%7B%5C%22surface%5C%22%3A%5C%22page%5C%22%2C%5C%22mechanism%5C%22%3A%5C%22page_upcoming_events_card%5C%22%2C%5C%22extra_data%5C%22%3A[]%7D]%22%2C%22has_source%22%3Atrue%7D

 

18 de Julho às 15h

Silvia Federici no Museu da Maré – roda de conversa com mulheres do território

Avenida Guilherme Maxwell, 26

Confira as informações completas:

https://www.facebook.com/events/1869045983416359/?ref=29&ref_notif_type=events_add_page_cohost&source=1&action_history=[%7B%22surface%22%3A%22permalink%22%2C%22mechanism%22%3A%22cohost_acceptance_unit%22%2C%22extra_data%22%3A[]%7D]&has_source=1

 

 

Sugestão de leitura para grupo de estudos – Pacs:

O feminismo e as políticas do comum em uma era de acumulação primitiva. Traduzido para o português pela SOF ( Sempre Viva Organização Feminista).

http://www.sof.org.br/wp-content/uploads/2015/08/Economia-e-poli%CC%81tica-web.pdf

Introdução ao livro Calibã e a Bruxa: Mulheres, corpo e acumulação primitiva ( em espanhol, versão em português disponível na internet).

https://www.traficantes.net/sites/default/files/pdfs/Caliban%20y%20la%20bruja-TdS.pdf

Entrevistas:

https://autonomistablog.wordpress.com/2017/03/08/historias-de-bruxas-uma-entrevista-com-silvia-federici/

http://blogjunho.com.br/feminismo-marxista-alternativas-politicas-historias-de-bruxa-uma-entrevista-com-silvia-federici/

http://lapeste.org/2016/11/silvia-federici-el-cuerpo-de-la-mujer-es-la-ultima-frontera-del-capitalismoentrevista-video/

https://www.traficantes.net/noticias-editorial/la-persecucion-de-las-brujas-permitio-el-capitalismo-entrevista-silvia-federici

http://www.herramienta.com.ar/cuerpos-y-sexualidades/para-un-analisis-de-sexo-clase-y-raza-entrevista-silvia-federici

http://lapeste.org/2017/05/silvia-federici-el-actual-ataque-a-las-mujeres-es-como-el-que-se-produjo-en-el-periodo-de-la-acumulacion-originaria-entrevista/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*