Ecologia Política do Desenvolvimento é tema de curso de extensão

O Laboratório Ettern (IPPUR/UFRJ), o Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA/UFRJ), o Instituto Pacs e a Fase promovem de 15 a 19 de maio, no Rio, o curso de extensão Ecologia Política do Desenvolvimento: um debate crítico.

As inscrições para o curso estão abertas até o dia 21/04. Para se inscrever, é preciso enviar e-mail com nome completo, currículo resumido, contato e texto de no máximo uma página descrevendo os motivos pelos quais deseja participar do curso. O e-mail para envio das inscrições e demais dúvidas é capitalismoextrativo@gmail.com. O curso é gratuito.

O curso será ministrado em dois lugares. No primeiro dia (15/05) na sede do CPDA/UFRRJ (avenida Presidente Vargas, 417/19º andar) e nos demais dias (16, 17, 18 e 19/05) na Casa da Ciência/ UFRJ (Rua Lauro Müller, 3 – Botafogo). Há emissão de certificado.

O curso é voltado para professores, professoras, especialmente do ensino médio, estudantes, pesquisadores, pesquisadoras, gestores públicos, e militantes de movimentos sociais. Tem como objetivos analisar as narrativas e práticas dominantes que reforçam o atual modelo de desenvolvimento e os blocos políticos articulados; caracterizar as implicações deste modelo e da apropriação da questão ambiental pelos agentes dominantes; e, construir com os/as aluno/as estratégias para abordar o estudo sobre desigualdade ambiental e desenvolvimento em distintas instâncias da educação formal e não-formal.

Além de ajudar na realização, o Instituto Pacs participa compartilhando a experiência da vigilância popular em saúde em Santa Cruz e da pesquisa sobre mulheres e conflitos ambientais, ambos na Zona Oeste do Rio.

Confira abaixo o programa completo do curso e saiba um pouco mais sobre o debate em torno da ecologia política do desenvolvimento.

 

Programação

15/05/2017 (Segunda)

ABERTURA

Implicações Políticas do Capitalismo Extrativista

Manhã

Das 9h às 12h

Henri acselrad (Ettern/IPPUR)

Karina Kato (CDPA/UFRRJ e Instituto Pacs)

Rodrigo Santos (IFCS/UFRJ)

 

Tarde

Módulo I – Introdução

Modernização ecológica, desenvolvimentismo e ambientes múltiplos

Das 13h às 15h30: A crítica da modernização ecológica: do supraclassismo aos conflitos ambientais – Henri Acselrad

Das 15h30 às 18h: O desenvolvimento e sua crítica – Gustavo Bezerra

16/05/2017 (Terça)

 Das 9h às 12h: Antropologia dos ambientes múltiplos – Cecília Mello

Módulo II: A sociologia política do desenvolvimentismo

16/05/2017 (Terça)

Das 13h30 às 15h: Baía de Sepetiba: fronteira do desenvolvimento e os limites para  a construção de alternativas – Karina Kato

Das 15h às 16h30: Relações entre plantas industriais e comunidades do entorno:  o caso da indústria do petróleo –  Sebastião Raulino e Bianca Diele

Das 16h30 às 18h: Capitalismo agrário e uso comum – Julianna Malerba

Da recusa do cativeiro às (r)existências de agricultores e agricultoras no chão e nos tempos do Apodi/RN – Maiana Maia

17/05/2017 (Quarta)

Das 9h às 10h30: Ecologia política das águas e da seca: o caso da Baía de Guanabara – Maria Angélica Maciel

Das 10h30 às 12h: As tramas da implementação da energia eólica na zona costeira do Ceará: legitimação e contestação da “energia limpa” – Julio Holanda

Módulo III: Terra, território e meio ambiente

17/05/2017 (Quarta)

Das 13h30 às 15h: Ciência “monocultural” moderna, conhecimentos tradicionais e  contextos neo/pós-coloniais – André Dumans Guedes

Das 15h às 16h30: Agronegócio e a ordem política: o caso dos agrocombustíveis em Minas Gerais – Laís Jabace

Das 16h30 às 18h: Pequenas centrais hidrelétricas, comunidades indígenas e espoliação: o Projeto Juruena no Mato Grosso – Maryanne Galvão

Módulo IV: A economia política do meio ambiente

18/05/2017 (Quinta)

Das 9h às 10h30: O que é feito em nome do clima: práticas e instituições da  ambientalização das finanças – Fabrina Furtado

Das 10h30 às 12h: A Geopolítica dos Megaprojetos de Infraestrutura e o caso do Tapajós – Diana Aguiar

Módulo V: Ambiente e cidades

18/05/2017 (Quinta)

Das 13h30 às 15h: A sociologia dos megaeventos e o caso da Vila Autódromo – Camilla Lobino

Das 15h às 16h30: A experiência da vigilância popular em saúde e mulheres e conflitos ambientais – Gabriel Strautman e Joana Emerrick

Modulo VI: O risco da política: Conflitos ambientais e a produção de consensos

18/05/2017 (Quinta)

Das 16h30 às 18h: Apropriações empresariais das ciências sociais: os conflitos   ambientais e o assédio processual a pesquisadores – Raquel Giffoni Pinto

19/05/2017 (Sexta)

Das 9h às 10h30: Políticas empresariais de controle territorial: responsabilidade  social e ambiental e gestão de riscos na indústria extrativa – Edwin Muñoz Gaviria

Das 10h30 às 12h: A dimensão política da aplicação de instrumentos regulatórios e de mecanismos de resolução negociada de conflitos ambientais em  grandes projetos de desenvolvimento e seus efeitos sociais – Rodrigo Viegas

Das 13h30 às 14h30: Ecologia política das águas e da seca: o caso da Transposição do Rio São Francisco – Juliana Neves Barros

Módulo VII: A Reinvenção da Política?

19/05/2017 (Sexta)

Das 14h30 às 18h: Sistematização dos módulos – Fabrina Furtado e Maryanne Galvão

Roda de conversa/debate e encerramento

Avaliação do curso, próximos passos e encerramento

 

Ecologia Política: questões ambientais e sociais indissociáveis

O debate ambiental foi recentemente reativado pela difusão da noção de antropoceno: com os processos de industrialização, sustentam os geocientistas, a pressão das atividades humanas sobre o planeta teria dado início a uma nova era geológica. E essa era estaria demarcada pela capacidade da sociedade moderna transformar a evolução geológica do sistema Terra. O pensamento crítico aplicado às questões ambientais sustenta, no entanto, que a ênfase no tamanho da pressão sobre a biosfera tende a produzir mais alarme do que entendimento.

Faz falta uma discussão circunstanciada sobre as formas sociais, o diagrama de forças e os mecanismos de poder que subjazem ao crescimento sistemático da escala de intervenção das forças econômicas.

Levando em consideração o atual contexto de retrocessos políticos e de direitos historicamente conquistados, o presente curso propõe-se a debater a questão ambiental como indissociavelmente ligada à questão social, onde ganha relevo analítico a noção de desigualdade ambiental, variável-chave para se entender a continuidade do desenvolvimento baseado na expropriação da pequena produção agrícola, dos povos indígenas e comunidades tradicionais, bem como na degradação das condições de vida de trabalhadores/as e moradores/as despos-suídos/as das cidades.

 

Baixe o programa completo do curso

curso(1)(1)

2 comentários sobre “Ecologia Política do Desenvolvimento é tema de curso de extensão

  1. Olá, o curso será transmitido? Ou disponibilizado no youtube?

    Att.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*